domingo, 20 de setembro de 2009

Notas de Campanha - Replica ao Sociologo Carlos Serra (16) 20/09/09

O Sociologo Carlos Serra, "porta-blogger" do MDM, escreve no diário de um Sociologo, seu blogue, que o MDM tinha previsto ontem um espectáculo na Mafalala, periferia da cidade de Maputo, com o rapper Azagaia. Mas o local foi ocupado pela Frelimo. O espectáculo foi realizado na Praça da Paz, mas de forma breve. e diz ainda que Infelizmente não dispoe de mais pormenores.

Pois eis os promenores na sua simples essência: A Frelimo solicitou o espaço do campo da Mafalala para a realização de uma actividade de campanha eleitoral junto do Conselho Municipal, solicitação aceite. alguns dias depois o MDM fez o mesmo, tendo sido recusado em virtude de a Frelimo já o ter feito, mas mesmo assim, os membros daquele partido, na sua táctica de auto-vitimização, lá se deslocaram ao campo de Mafalala a fim de serem corridos e logo de seguida reclamarem exlusão e serem vitimas de perseguição. E assim vai a campanha eleitoral.

6 comentários:

Egídio Vaz disse...

Isso é meia-verdade. O MDM ainda não tinha a confirmação seja de recusa, seja de aceitação. O Conselho Municipal simplesmente não tinha dado a conhecer que a Frelimo já tinha 'bookado' o espaço. Suspeito que tenha sido por desleixo. Mas que o MDM tinha pedido isso sim tinha. Só que a resposta foi um NIM (nem sim, nem não) e eles apenas tinham os documentos provando que tinham solicitado o espaço. Mas não tinham em sua posse, a resposta. Enquanto que a Frelimo sim tinha esse papel. Mais uma vez, maldito papel! Em todo o caso, não huve incidente nenhum. Coisa boa.
Abraços.

Nelson disse...

O Dr. Carlos Serra disse e sabiamente, que “Infelizmente não dispoe de mais pormenores”. Gosto dessa humildade de Carlos Serra.
Vi na televisão, o Ismael Mussá exibindo os documentos da autorização pelo CMCM para o uso do espaço. O camarada Voz da Revolução faria um bom serviço se nos desse as fontes do onde soube que a Frelimo foi a primeira a requerer o espaço. Enquanto não fizer isso todo resto é um mero blá blá.

Anónimo disse...

eu vi esta noticia e li tambem os jornais em online ja nao me lembro bem se foi o canalmoz ou o jornal o pais, uma destas fontes dizia que o que se sabe e que a tal carta que supostamente estao a dizer aqui que a fre tinha nao foi mostrada quando estes pediram que a fre e o secretario do bairro mostrasse este ultimo disse simplesmente que estava no gabinete
Outro aspecto a resposta que foi dada aos jornalistas pela policia a fre e ate o secretario do bairro e que a fre ja estava no campo ou seja chegou primeiro. e como se fosse eu cheguei primeiro o espaco e meu. mano nao vamos estar a falar de auto vitimizacao o caso de xai-xai tambem e auto vitimizacao.esta coisa de minimizar os erros quando se trata de favorecer um partido e que faz que o referido partido nao proguida sao voces que estao a manchar e a estragar este partido

Anónimo disse...

Vi uma multidão com bandeiras e panfletos nas passeatas do Planalto. Cantavam e dançavam os nossos cânticos tradicionais que suavemente e agradavelmente flúem os ouvidos de bom gosto. Estavam entre eles crianças, jovens, adultos e idosos. A maioria deles estava descalça, vestida de farrapos e os seus olhos emitiam um cansaço enorme. Tinham andado distâncias e distâncias a pé sem descanso. As suas vísceras estavam em processo ininterrupto de dilaceração movida pela fome incauta. Aquele povo era tão magrinho, tão magrinho, que parecia padecente de pneumonia aguda ou se parecia com as vacas magras no Corno de África. Vinham de aldeias longínquas para a vila onde o candidato presidencial daria o seu comício.
Deparei-me de seguida com um aparato do dito cujo candidato. Desceu de um dos seus tantos objectos voadores. Dos restantes discos voadores que se pareciam com helicópteros, desceram seus acompanhantes. Aquela comitiva do “presidenciável” contrastava-se abruptamente com a manada de pessoas que tinham estado ali no campo distrital há muitas horas. Eram saudavelmente gordos, com a pele macia, vestidos de camisolas da campanha eleitoral de primeira qualidade. Bebiam água mineral e estavam sentados na tribuna…claro na sombra.

Horas depois começou o candidato presidencial a lançar o seu viva viva e a população ia respondendo em uníssono. Percebia-se que a população procurava captar o que ele dizia, pois, embora não falasse a língua bela do Planalto, o interprete tudo fazia para lhe ser fiel. Ai começou ele a explanar ao pacato povo:

- Eu sou o melhor dentre os melhores. Vendi a minha juventude para salvar a pátria do jugo colonial. Fui eu quem vos dá a energia daquela barragem que agora é vossa. Construí escolas, hospitais, estradas e pontes. A comida que têm nos vossos celeiros eu é que trouxe. Eu sou quem mereço o vosso voto, a vossa confiança. Lá ia o candidato vendendo o seu peixe àquela multidão que vive de feijão e milho ou no mínimo folhas de abóbora secas, complementados com frutas silvestres.

Após a explanação do “presidenciavel” repetente, as faces dos meus compatriotas mergulharam-se em banho de lágrimas. O povo que acreditava que ia lá ouvir daquele candidato promessas bem luxuosas, saiu de lá desiludido. Do princípio até ao fim do comício, sou recebeu relatório que já tinha recebido há bem pouco tempo quando o ora candidato tinha passado por lá na qualidade de Pulezidenti.

Ao contrário do que o indubitável vencedor disse, o povo do Planalto esperava ouvir, por exemplo, que “irei asfaltar a estrada que liga Vila Ulònguè à Tsangano passando por mtengo wa Mbalame e de Mtengo wa Mbalame ao Posto Fronteiriço de Biriwiri. Vou igualmente asfaltar a estrada que liga Vila Ulónguè à Furancungo, em Macanga. Vou construir hospitais rurais em Furancungo e Tsangano...” Porém para decepção do povo do Planalto, aquele recolheu a sua comitiva, meteram-se nos helicópteros com bandeira sulafricana e se foram. Acredito que apenas voltará para lá em 2014 para ir pedir ou carimbo para o banquete da ponta vermelha.

Quanto ao povo, continuará daquela mesma forma até que um dia tome consciência de que o seu voto vale mais que simples show off de helicópteros sulafricanos e uma camisola de última qualidade, ostentando a cara do “presidenciável”. Até 2014 Sr. Candidato. Conte sempre connosco, pois somos analfabetos e, porquanto, temos a consciência de que para nós basta exibir helicópteros, o voto está garantido. Isso mesmo, temos consciência de que vamos continuar a percorrer distâncias e distâncias a pé enquanto as estradas acima mencionadas não constarem na vossa agenda de governação.

http://angoni.blogspot.com/2009/09/do-planalto.html

Sergio HUO disse...

Aiaiaiaaaaaaaaaaaaaa
Cara da Voz da Revolucao, faca a sua parte na historia, que os outros tambem vao fazendo.
Agora, nao me aparecam com fonte unica como "canalmoz" ou "o pais" que todos sabemos muito da linha editorial desses dois.
Ora, que alguns sao soldados do nada e' verdade, e fariam tudo para usar todo seu arsenal para dizer que fomos vitimizados, etc...Afinal, se “Infelizmente não dispoe de mais pormenores”, entao nao avence com o boato, nao seria melhor assim???

Voz da Revolucao disse...

A tendência política de Carlos Serra é sobejamente conhecida e compreendem-se os seus pronunciamentos.

Xana